sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Primeira leitura de Contos Fantásticos do Século XIX : História do Demoníaco Pacheco

Oi pessoal terminei minha leitura da primeira leitura de Contos Fantásticos do Século XIX.
Como o prometido vou fazer a resenha desse primeiro conto que é do autor  Jan Potocki.

Tudo começa quando um homem acorda no meio de dos corpos dos irmãos Zotos que foram enforcados há três meses pelos seus atos de bandidagem.Esse homem que o nome não é citado no livros,acorda desorientado e assustado por estar no meio de dois cadáveres em de composição,fazendo um pouco de esforço para conseguir se levantar e sair da onde estava,começa a escalar as paredes de onde estava afim de conseguir chegar a parte superior para ver se avista alguém.
Quando finalmente consegue chegar ao topo vê ao longe dois viajantes que estavam preparando um almoço,quando consegue chamar a atenção dos viajantes eles se assustam montam em seus cavalos e saem em dispara correndo mais rápido cada vez que o homem gritava para pararem.Visto que não receberia ajuda para sair dali ele faz um esforço e consegue se jogar de cima do muro onde estava,caindo contra o solo seco,ele corre para onde se encontravam os viajantes vendo que eles haviam deixado seu almoço para trás aproveita para comer e guardar um pouco para a viagem.
Como ele se encontrava sem seu cavalo é obrigado a ir apé ate a cidade mais próxima,onde encontra seu cavalo em uma posada,como já está tarde decide dormir por lá mesmo.No outro dia  segue seu caminho até sua cidade natal,nas anoite cai e ele se vê obrigado a parar em uma casinha afastada que fica ao lado de uma capela,onde um velho senhor o acolhe e prepara um jantar para ele.Mas enquanto estão  conversando uma figura horripilante adentra a casa.
Um homem cujo um dos olhos falta,manca de um pé,sua linguá esta do lado de fora da boca e espuma como um cão com raiva.Assim que adentra a casa se senta em uma cadeira em um canto da sala e lá fica parado olhando para a cruz que traz nas mãos.Intrigado para saber de quem se trata  o homem pergunta ao velho quem é a criatura que acaba de entrar na casa,o velho diz que se trata de Pacheco um pobre possuído que ele tem que exorcizar todas as noites,e diz que melhor do que ele explicar é o próprio Pacheco contar sua história.
Depois de dar muitos rodeios antes de contar sua história Pacheco finalmente começa a contar,que se pai havia se casado com uma mulher muito bela que tinha uma irmã tão bela quanto ela,e que ele morria de amores por ela,mas sabia que seu amor era proibido mas se contentara com a proposta que sua madrasta fizera de que eles poderiam ser amantes desde que ela também participasse pois ela amava Pacheco não seu pai.
Depois de alguns meses o pai,a madrasta e a irmã dela decidem ir para uma cidade perto do vale,Pacheco teria de tomar conta da casa por dois meses,depois de passado esses dois meses o pai  manda uma carta dizendo que quer falar com ele.Pacheco sai  ao encontro do pai,mas quando chega ao vale não o encontra por isso decide espera-lo mas as horas vão passando e nada de seu pai aparecer,quando chega a noite decide dormir em uma pousada,mas quando pede para o estalageiro arrumar uma cama para ele,o estalageiro fala que seria melhor ele dormir na casa da fazendo dele pois a noite a pousada era infestadas de assombrações,não dando ouvidos  Pacheco dorme lá.Mas no meio da noite escuta uma batida em sua porta,quando a abre vê sua madrasta de camisola pedindo para ele fazer silêncio,ela diz que o pai dele ficara com medo das histórias sobre fantasmas e preferiu dormir na casa da fazenda mas ela e sua irmã quiseram ficar na pousada,e que elas estavam dispostas a fazerem amor com ele essa noite,movido pela luxúria Pacheco concorda e segue com sua madrasta por um correndo,onde se encontra a irmã dela,e durante toda a noite fizeram amor.Logo de manhã ele acorda sozinho na cama,quando desce para tomar café pergunta ao estalageiro se seu pai havia dormido na casa da fazenda,mas para sua surpresa o homem diz que ninguém dormira lá noite passada.
Ele sai a cavalo para uma cidade próxima crente de que seu pai estaria,mas chegando lá não o encontrou então pediu uma cama que lhe foi posta na cozinha pois a pousada estava lotada.Durante a noite a vela que estava perto de sua cama foi apagada e em seguida veio a voz de sua madrasta dizendo que estava com frio e queria se deitar com ele,depois veio a voz da irmã dela dizendo a mesma coisa,recusando-se a falar Pacheco sente seu cobertor ser puxado e uma mão fria segurar seu rosto,neste momento a lareira se acende revelando os rostos dos irmãos Zoto que foram enforcados fazia alguns dias.
Com medo Pacheco corre para fora da pousada mas logo é alcançado pelos fantasmas,que lhe arrancam o olho lhe cortam os dedos dos pés e o deixam inconsciente.Quando vem a acordar está no meio dos corpos dos irmãos Zoto, ele sai correndo como pode e logo é ajudado por dois cavaleiros que o levam para a casa do velho que lhe cura os ferimentos e o da a chance de se redimir dos pecados.
Depois de ouvir esse relato o homem fica com medo pois também havia acordado no meio dos corpos dos irmãos Zoto. Quando chega a  hora de dormir o pobre velho diz que é melhor ele dormir na capela,sobre a cruz santa e a proteção da virgem,pois durante a noite Pacheco costuma uivar e fazer alguns barulhos que poderiam lhe incomodar.
Sem pensar duas vezes o homem vai para a capela onde dorme tranquilo até que se é ouvida uma batida na porta,ele levanta e vai até a porta onde pergunta quem está lá e somente duas vozes são escutada e ambas femininas e dizem que estão com frio e querem dormir com ele.O homem somente diz que não cai nesse truque e sabe que são os irmãos Zoto logo as vozes dizem para abrir a porta,ciente de que a porta está tranca o homem deixa para lá e vola dormir tranquilo.

Devo dizer que fiquei assustada com esse primeiro conto,não sei se foi por ser tão assustador ou por ter lido sozinha a noite e na hora de dormir,mas adorei o conto o único problema é que somente uma personagem tem nome  que é Pacheco,mas acho que isso ocorreu porque naquela época as pessoas estarem mais interessadas no que aconteceu não com quem aconteceu.
Bem espero que as outras histórias sejam tão boas quanto essa e logo sairá a próxima resenha sobre o segundo conto do livro.

Contos:

O Demoníaco Pacheco                                         O Olho sem Pálpebra
                                                                         
Sortilégio de Outono                                             A Mão Encantada

O Homem de Areia                                              O Jovem Goodman Brown

A História de Willie o Vagabundo                          O Nariz

O Elixir da Longa vida                                          A Morta Amorosa

A Vênus de Ille                                                    O Fantasma e o consertador de Ossos

O Coração Denunciador                                        A Sombra

O Sinaleiro                                                           O Sonho

O Espanta Diabo                                                  É De confundir

A Noite                                                               Amour Dure

Chickamauga                                                       Os Buracos da Máscara

O Demônio da Garrafa                                         Os Amigos dos Amigos

Os Construtores de Pontes                                   Em Terra de Cego



2 comentários:

  1. Oi, parabéns pelo blog e por essa resenha. Este conto é um dos meus preferidos dentro do gênero.

    ResponderExcluir
  2. Eu também gostei muito dessa história estou lendo o segundo conto que também esta se mostrando muito bom.Obrigada pelos elogios Fabiano.

    ResponderExcluir