segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Muito Romântico por Toni Brandão

Numa São Paulo de 25 mil habitantes, 14 chafarizes e ruas de pedras irregulares parcialmente iluminadas pela precária luz amarela de 200 lampiões, um dos jovens estudantes da Escola de Direito do Largo de São Francisco – os Morcegos, como eram conhecidos, por causa da reluzente e inseparável capa preta do seu uniforme – está sofrendo de um mal terrível. Desatinado, desesperado, impiedosamente desprezado por sua amada, ele tem aquele que é considerado o mais grave mal do século XIX. Não, não é tuberculose, sífilis, tifo nem febre amarela, doenças tão comuns à época. Trata-se de algo ainda mais devastador, uma dor crônica que toma conta do seu corpo, que lhe suga as forças e lhe corrói a alma, fazendo-o ansiar pelo momento da própria morte. Antônio está doente de amor.
É nesse clima ultra-romântico, tão característico da segunda geração do romantismo brasileiro, que o escritor Toni Brandão, em seu livro Muito Romântico, magistralmente transporta o leitor para a São Paulo real de 1863.                                                    


Ufa! Finalmente terminei a leitura de Muito Romântico do autor nacional Toni Brandão.

A história tem quatro personagens principais Antônio, Sophia Zaragoza, Diana Hataway e Zabé. Tudo começa quando Antônio passa a andar bêbado e moribundo pois seu grande amor Diana não o quer mais.Uma noite enquanto rastejava sujo e fora de si pelas ruas da província, ele acaba caindo na loja de caixões da senhora Sophia Zaragoza, que após muito tentar dialogar com ele percebe que ele esta bêbado e que por baixo daqueles óculos redondos de lentes vermelhas há lindos olhos azuis e um belo homem.
Encantada por Antônio, ela manda sua mucama Zabé chamar seus outros escravos e elevarem ele para seu quarto,e também manda lavar e passar as roupas do moribundo. Após algum tempo Zabé começa a perceber que sua sinhá esta apaixonada pelo jovem rapaz, mas ela também sabe que esse amor não é correspondido.Após um dia finalmente Antônio acorda, animada com o despertar de seu amado Sophia vai ao seu encontro, mas fica decepcionada quando percebe que o rapaz nem a nota e quer mesmo é ir embora.Disposta a para-lo ela diz que o ama, nesse momento ele se aproxima dela e lhe dá o beijo mais ardente e apaixonado que ela já havia sentido, mas infelizmente ele se afasta e vai embora, completamente louca de amores ela decide por Zabé para investigar ele.Zabé é uma negra muito bonita e esperta, e além disso tem um dom ela pode ver a morte.
Mas infelizmente as noticias que Zabé traz para Sophia não são nada boas, pois o jovem Antônio morre de amores por uma certa atriz chama Diana Hataway que não corresponde a esse amor e é por isso que ele anda bebendo e chorando pelas ruas.Sophia decide então ir atrás dessa Diana para saber como ela é, e acaba descobrindo que ela é linda e jovem e que contra Diana ela não teria nem chances, por isso decide denuncia-la para a policia pois durante a noite Diana e outros negros se reuniam em um cemitério, e isso era considerado crime pois o encontro entre negro era proibido por lei e se algum "branco" estivesse envolvido receberia punições severas.Mas mesmo com todo o cerco que policia havia formado Diana ainda assim escapa e consegue fugir deixando Sophia totalmente fora de si.
Quando Diana se encontra com Antônio descobrimos porque ela não corresponde a esse amor, pois ela é Bugra ( descendente de índios,negros e portugueses) e para a sociedade daquela época o relacionamento entre brancos e bugros era totalmente mal visto pela sociedade.Mas Antônio era indiferente a isso seu amor por ela ultrapassaria todo o preconceito, e realmente ultrapassou pois depois de todas as adversidades Antônio e Diana finalmente ficam juntos e juntos lutam contra a escravidão e humilhação de negros,índios e bugros.

Devo admitir que esse livro foi muito massante para mim pois o começo é muito sem graça, e há referencias a clássicos da literatura, sem contar a poesia (não sou a maior fã de poesia) não gostei muito do enredo foi muito fraco e sem atrativos, pois fica somente na mesma coisa desde o começo e não é um livro muito animador se querem saber.Eu não indico esse livro para o publico adolescente por ser uma história meio histórica isso deixariam vocês entediados, mas caso vocês gostem de leitura assim, podem se aventurar.

@livrokety

Facebook

Skoob


3 comentários:

  1. Eu gosto de bucetas bem abertas, como uma esfiha

    ResponderExcluir
  2. Pra mim esse livro é muito interessante seu enredo é lento mais é muito legal ..é uma leitura melancólica .a poesia é linda e as palavras ditas são poeticas ...recomendo ! *---* o Antônio é um atrativo a parte

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto de pica bem grossa

    ResponderExcluir